NEWSLETTER

Email:
Telefone:
 

ENQUETE

(Abril/2017) Qual o seu interesse neste site?

Sou hidroponista, busco mais conhecimento na área

Sou produtor convencional, quero migrar para a Hidroponia

Sou empresário/fornecedor, quero investir no setor

Sou consumidor, quero informações

Outro objetivo? Comente pelo e-mail redacao@revistahidroponia.com.br
















































































NOTÍCIAS


A importância das telas de sombreamento na Hidroponia

Desde que utilizado de forma adequada, recurso é extremamente relevante para obter aumento da produtividade

02/08/2017


Destinadas para o controle solar, as telas de sombreamento são essenciais na Hidroponia. Afinal, o Brasil se caracteriza pelos climas tropical e subtropical, com temperaturas elevadas em boa parte do ano e níveis de radiação acima do ideal ao

desenvolvimento das hortaliças de folha e fruto, o que afeta de maneira significativa a taxa fotossintética das plantas pela quantidade de radiação de calor que se acumula dentro das estufas agrícolas. Além disso, o excesso de radiação muitas vezes causa perdas de produtividade por queimas de folhas e frutos (ação da radiação ultravioleta).

O sombreamento reduz a intensidade luminosa e a temperatura no interior da estufa, já que ao controlar a radiação que entra no ambiente protegido, se consegue reduzir a temperatura interna. O recurso técnico, tanto com plásticos ou telas de sombra, possibilita que se mantenha mais alta a temperatura interna das estufas agrícolas, por conservação de energia, e também serve para aumentar a umidade relativa da estufa. “As telas de sombreamento são muito usadas em regiões mais quentes do Brasil para fazer sombreamento em algumas culturas que não gostam muito do excesso de radiação, como a rúcula”, afirma José Carlos Pinto, diretor comercial da Plant-Tec, de Bragança Paulista (SP).

Desde que feito de forma adequada, o sombreamento é extremamente importante para que o agricultor tenha aumento de produtividade, ganho de qualidade e menos perdas por doenças fúngicas, estresse térmico e uma menor incidência de insetos. Ele também possibilita economia de uso de defensivos químicos, precocidade, maior eficiência na absorção e translocação de nutrientes e uma melhor eficiência/rendimento da mão de obra por ter um ambiente menos estressante.

“O mais importante é conhecer as necessidades de cada cultura, os fatores limitantes de cada região e definir o tipo de filme plástico e tela de sombreamento corretos, já que a escolha errada desses materiais pode reduzir a produção e aumentar perdas por excesso de radiação e de temperatura ou geadas, além de elevar o consumo de água”, declara Alessandro Mangetti, gerente comercial da Ginegar Polysack, de Leme (SP).

*Fonte: Acervo Revista Hidroponia



NOTÍCIAS RELACIONADAS